Especialistas debatem soluções para a inovação de ambientes urbanos

Na noite de 30 de outubro, aconteceu o LIDE FUTURO Debate “Cidades Inteligentes”, na sede da Athié Wohnrath, com a participação de Sérgio Athié, sócio-diretor da Athié Wohnrath; Susanna Marchioni, CEO da Planet Smart City no Brasil; e Raul Juste Lores, editor-chefe da revista Veja SP. O bate-papo foi conduzido por Rafael Cosentino, CEO da Inovalli e presidente do comitê de gestão do LIDE FUTURO.

Atualmente, com a crise global de moradia em países com grandes déficits habitacionais, empresários e novas lideranças políticas buscam parcerias para revitalizarem construções em comunidades já estabelecidas, por meio de tecnologias inteligentes.

A transformação de uma cidade comum em uma cidade inteligente (Smart City) é um assunto que desperta cada vez mais o interesse da população e dos governos de todo o mundo, já que, principalmente nas grandes metrópoles, algo deve ser feito pela melhoria da qualidade de vida das pessoas, com melhores serviços públicos, maior sustentabilidade e distâncias menores.

Tendo a inovação dos ambientes urbanos como foco do debate entre os especialistas, foram trazidos exemplos de cidades no mundo onde essa inovação está dando certo, como Seul, na Coreia do Sul, e Barcelona, na Espanha. Quando questionados sobre Brasil e o que podemos esperar de implantação por aqui, os debatedores trouxeram pontos otimistas, mas também alertaram sobre dificuldades que tanto esbarram no poder público, quanto no privado.

“Eu trabalho com muitas empresas, muitos jovens, e todos estão curiosos para saber o que está acontecendo de inovação no mundo, com um estilo de vida totalmente diferente da família da década de 80. Acredito que teremos brevemente uma mudança, pois as pessoas querem morar perto do trabalho, querem sair de casa e poder ir a um mercado ou uma farmácia a pé”, comentou Sérgio Athié.

Susanna Marchioni, CEO do Planet Smart City – empresa que integra soluções inovadoras em arquitetura e planejamento urbanístico, tecnologia, meio ambiente e práticas de inovação social para oferecer residências de alta qualidade, com preço acessível –, alertou sobre a importância de ampliar áreas comuns. “Normalmente, em projetos de 100 hectares, você precisa utilizar 45 hectares para malha viária, parques e outras áreas comuns, nós estamos trabalhando com parâmetros um pouco maiores, cerca de 51 hectares”, disse.

Por fim, o jornalista Raul Juste Lores disse que a cidade de São Paulo precisa mudar suas leis para conseguir inovar em seus ambientes urbanos. “O Conjunto Nacional, na avenida Paulista, é um exemplo de projeto urbanístico, mas, com as leis atuais, não seria possível alguém construir um outro Conjunto Nacional nos dias de hoje”, mencionou.

O evento contou com a participação de 50 filiados do LIDE FUTURO.

Capítulos Recomendados

Nenhum comentário, faça o seu!


Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *