Madureira: o limite do humor é a gargalhada

Com o sonho de ser astronauta, Marcelo Madureira formou-se engenheiro e começou sua carreira no mercado financeiro. O humor surgiu por um jornal mural na faculdade, em que ele inventava fofocas sobre a vida alheia. Foi uma questão de tempo para suas “babaquices”, como ele mesmo diz, conquistarem os risos brasileiros e o consolidarem como um dos maiores humoristas do país, integrante de um dos maiores programas da TV Globo, Casseta&Planeta.

De visão liberal e sempre à frente, nosso mentor da vez deixou grandes reflexões como aprendizados, principalmente sobre a forma como enxergamos e exercemos nosso papel como cidadão numa sociedade que, cada vez mais dividida, se distancia da harmonia. “Vivemos uma enorme incerteza e insegurança. A vida não é mais previsível, é tudo extremamente volátil. Quando tendemos a ser conservador, tendemos a ser autoritário”, afirmou.    

Quando indagado sobre o limite do humor, deixou claro que “o limite do humor é a gargalhada. O objetivo do humorista é fazer graça, e não ofender”. Para ele, o humor é a forma mais sofisticada de autocrítica que o ser humano inventou e todo artista deve existir para incomodar, de forma positiva. “Não adianta eu ter toda informação do mundo se eu não souber formular”, complementou.

Realizado na LAJE, uma plataforma de inovação que gera soluções de negócio ágeis, o evento contou com a participação de mais de 50 jovens lideranças, filiadas ao LIDE FUTURO em São Paulo.

Capítulos Recomendados

Nenhum comentário, faça o seu!


Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *